Kanye West está a pagar as propinas da faculdade da filha de George Floyd

Embora os recentes protestos desencadeados pela morte de George Floyd tenham reunido celebridades, marcas e pessoas normais por trás daquele que é hoje o maior movimento de direitos civis da história, o silêncio de um homem ao longo de tudo isto tem sido, até agora, particularmente ensurdecedor. Kanye West, o megastar rap e o recém-cunhado bilionário que a recente viragem de simpatia para com Donald Trump fez dele uma das figuras mais divisivas tanto no hip-hop como na cultura negra, recusou-se a ser retirado da sua concha sobre o assunto.

West, particularmente nos seus álbuns anteriores como The College Dropout, Late Registration e Yeezus, usou a experiência negra como um dos temas-chave da provocação que o viu subir à fama ao longo da última década. Mas nos últimos anos, o comportamento público de West tornou-se cada vez mais imprevisível, ele fez uma série de movimentos que viram muitos dos seus antigos fãs virarem-se contra ele, mais notavelmente adornando um chapéu “Make America Great Again” para uma reunião com o atual POTUS.

Embora West passe agora grandes períodos entre declarações públicas em relativo silêncio, preferindo, em vez disso, o isolamento do seu rancho wyoming, ele afirmou o seu apoio a Trump numa entrevista recente à GQ, afirmando; “Sabemos em quem vou votar. E não vou ser informado pelas pessoas à minha volta e pelas pessoas que têm a sua agenda que a minha carreira vai acabar… É como se a campanha do Obama fosse “Estou com o preto”. Qual é o sentido de ser uma celebridade se não se pode ter uma opinião? Cada um faz a sua própria opinião! Sabe?”

Mas o que quer que possa inclinar o Ocidente para o Republicano que procura o seu segundo mandato, parece que o desejo de apoiar a comunidade negra e usar o seu considerável poder para afetar a vida de afro-americanos maltratados ainda lá está. Segundo a CNN, West contribuiu com 2 milhões de dólares para as famílias dos mais infamemente afetados pela brutalidade policial nos últimos meses.

A contribuição, de acordo com o representante de West, irá no sentido de estabelecer um plano de educação de 529 filhos para a filha de 6 anos de George Floyd, Gianna, bem como os honorários legais para as famílias de Ahmaud Arbery e Breonna Taylor, que morreu nas mãos da polícia nos últimos meses. Parte do dinheiro irá, aparentemente, para ajudar as empresas de propriedade negra na zona natal de Chicago, no oeste, muitas das quais foram duramente atingidas pela desaceleração económica provocada pela pandemia coronavírus.

Parece que West continuará a ser uma figura perplexa para o tempo, mas podemos estar prontos para ouvir mais quando o seu próximo álbum, God’s Country, acabar por ser lançado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *